Revista Discente Eletrônica da pós-graduação em História da Universidade Federal de São Paulo

Notícias

Chamada para publicação

v1Prancheta 1.jpgFoto e arte: Otávio Gentil dos Santos   

É com prazer que a revista Hydra, periódico discente do programa de pós-graduação em História da UNIFESP, vem a público informar a chamada de textos que irão compor o Dossiê “História do Esporte e Lazer”. O Dossiê comporá a edição volume 5, número 3, dezembro de 2018.

 

DOSSIÊ: HISTÓRIA DOS ESPORTES E LAZER

 

Na última década, o Brasil vivenciou um período de grandes eventos esportivos. Entre 2007 e 2016, foram realizados quatro grandes eventos: Jogos Pan Americanos do Rio de Janeiro (2007), Copa das Confederações da FIFA (2013), Copa do Mundo da FIFA (2014) e Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (2016). A “Década Esportiva” chamou atenção da academia, e o que se viu foi uma profusão de trabalhos voltados para a temática do esporte e lazer, sobretudo no que diz respeito aos Jogos Olímpicos e sobre o impacto dos megaeventos esportivos nas cidades. Além disso, passou-se a prestar mais atenção no papel que as práticas esportivas ocupam na sociedade brasileira.

No campo historiográfico, há pelo menos três décadas historiadores têm-se debruçado na temática do esporte e lazer. Fruto do debate com as Ciências Sociais e com a Educação Física, a História do Esporte e Lazer é um campo ainda em construção, que, apesar de interdisciplinar, requer um rigor metodológico e um trato adequado das fontes, próprios da disciplina histórica. Em território nacional, o Simpósio Temático da ANPUH (História do Esporte e das Práticas Corporais), criado em 2003, é um exemplo desse crescimento. O espaço possibilitou o debate entre pesquisadores, ajudando a consolidar o tema em diversas instituições, principalmente em grupos de estudos, núcleos de pesquisa e programas de pós-graduação. O resultado desse processo foi o crescimento no número de pesquisas, artigos, capítulos de livros e publicações voltadas para a temática do esporte e do lazer, tanto no contexto nacional, quanto internacional.

Deste modo, o esporte é entendido, aqui, como uma manifestação cultural em sentido amplo, com uma historicidade e uma complexidade própria do campo esportivo, mas indissociável de todos os âmbitos da vida cotidiana. O esporte e o lazer podem ser usados como chave para compreender, interpretar e até mesmo explicar questões culturais, políticas, econômicas e sociais, possibilitando, assim, ampliar a compreensão de contextos sociais mais complexos. Temáticas como nacionalismo, identidade nacional, regionalismo, globalização, modernização, política e cultura, por exemplo, constituem possibilidades de discussão.

Quanto às fontes para se fazer a História do Esporte e Lazer, cabe dizer que são de natureza distintas, desde periódicos (esportivos ou não), passando por documentos oficiais das instituições estudadas, relatos etnográficos, história oral, fotografia, cinema, e até cultura material. Isso significa dizer que o historiador do esporte e lazer precisa ter atenção e rigor investigativo no trato com as fontes, próprias de seu ofício.

Assim, um dossiê temático, principalmente após a “Década Esportiva” que o Brasil viveu, é visível, pertinente e necessário. Tendo esse cenário em vista, o presente número da Revista Hydra abrirá o seu espaço para que pesquisadores discutam o Esporte e o Lazer, tanto na História, quanto nas áreas correlatas, com o intuito de gerar contribuições para o campo historiográfico.

 

Por Victor de Leonardo Figols (Doutorando em História pela UFPR)

 

A revista aceita igualmente Artigos Livres, Notas de Pesquisa e Resenhas.

Prazo de submissão: 09 de julho à 31 de agosto de 2018, diretamente para o email da revista: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..
Previsão de publicação: dezembro de 2018.

Destaques

Eventos

O que é Anarquismo? Uma história de trabalhadoras e trabalhadores

anarquismo.jpg

I Panorama dos estudos poéticos e retóricos no Brasil

estudos.png

Quer fazer parte da 4ª Semana de Artes da EFLCH-Unifesp?

feira.jpg

MEKUKRADJÁ – Círculo de Saberes: O movimento da memória

O Ciclo de debates que reúne representantes de diversas etnias, além de pesquisadores e especialistas, para discutir arte, cultura e identidade no âmbito das questões indígenas.


Com curadoria de Daniel Munduruku e da antropóloga Junia Torres, a terceira edição do MEKUKRADJÁ - CÍRCULO DE SABERES tem como tema a atualização e a preservação da memória, e acontece na sede do ITAÚ CULTURAL (Av. Paulista, 149, SP/SP), nos dias 22 e 23 de agosto, com entrada franca.

Além das seis mesas de debate - que serão transmitidas ao vivo via internet - haverá uma oficina sobre midiativismo e a realização audiovisual indígena, feira de livros e artesanato, e a disponibilização ao público de 11 filmes relacionados à temática do Mekukradjá no site do Itaú Cultural.

Saiba mais em: https://goo.gl/Q3VYMJ
 

EFLCH/Unifesp discute gênero, feminismos e Direitos Humanos na Educação Infantil

Inscrições até 25 agosto de 2018

 

Organizado pelas docentes da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH) da Unifesp Daniela Finco e Célia Serrão e pela convidada Maria Amélia Teles – conhecida como Amelinha, uma referência nacional na luta pelos direitos das mulheres –, o curso de extensão Lutas Femininas, Emancipação de Gênero e Direito à Educação Infantil aborda as temáticas das relações de gênero, feminismos e Direitos Humanos para professores(as) e gestores(as) de Educação Infantil da rede municipal de Guarulhos/São Paulo.

 

O evento parte do pressuposto que o espaço da Educação Infantil é um lugar de afirmação das diferenças e também de eliminação das desigualdades e violência de gênero. Além disso, traz o desafio de construir um olhar feminista para os direitos das crianças, considerando, sobretudo, a creche e a pré-escola como locus histórico da luta feminista que visa outras práticas pedagógicas, na busca de transformar a realidade educativa das crianças pequenas por meio da práxis emancipatória e descolonizadora.

 

Os assuntos abordados serão: movimentos feministas, luta pelo direito à creche, história da Educação Infantil e os movimentos sociais, violência contra as mulheres e redes de apoio, sexismo na educação das crianças pequenas e a construção de poéticas da resistência.

 

O curso de extensão, com carga horária de 40 horas, será realizado a partir de encontros presenciais na EFLCH/Unifesp e também contará com visitas técnicas em espaços que constituem uma rede de apoio para enfrentar os desafios atuais. Será exigido também para certificação a elaboração de um Plano de Ação Pedagógica sobre a temática do curso.

 

Público-alvo: estudantes, professores(as), gestores(as) que atuam na Educação Infantil da rede de Guarulhos e demais interessados(as) na temática.

 

As inscrições estarão abertas entre os dias 10 e 25 de agosto e devem ser realizadas pelo endereço de e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Serviço:

Lutas Femininas, Emancipação de Gênero e Direito à Educação Infantil

Número de vagas: 50

Dias: 30 de agosto, 11 e 25 de setembro, 3, 16 e 30 de outubro e 6 de novembro

Horário: das 17h às 20h